É por si que estou aqui!

Eu e todos os consultores da PlanoViavel, ajudamos os portugueses a sair da crise. Contribuimos para a união de familias que estavam a desagregar-se, por causa do mau viver provocado por créditos e mais créditos por pagar. É com orgulho e convicção que disponibilizamos a nossa experiência, para ajudá-lo a sair do sufoco em que as dívidas o mergulharam. Se já não sabe como liquidar as suas contas, fale connosco antes que seja tarde demais. Estaremos sempre lá para si. Tem a minha palavra!

segunda-feira, 16 de Maio de 2011

Se não pagar as dívidas... O que me acontece?

No caso de não chegar a um acordo relativamente ao pagamento das suas dívidas atraves de procedimentos conciliatórios, as entidades credoras vão seguramente avançar através do recurso ao tribunal.
Para o efeito, o credor apresenta um requerimento judicial para obter o título executivo. O título executivo é o reconhecimento oficial da dívida e enquanto não existir título executivo a dívida não pode ser cobrada.
A partir da emissão do título executivo o credor pode apresentar, em Tribunal, uma acção de execução.
A execução tem como objecto a apreensão e a liquidação do património do devedor para, com o produto da venda, se proceder ao pagamento das dívidas aos credores.
De acordo com a lei, estão sujeitos à execução todos os bens do devedor que sejam susceptíveis de penhora. 
A penhora dos bens geralmente é feita pela seguinte ordem:
  •   Depósitos bancários;
  •   Rendas, abonos, vencimentos, salários ou outros créditos
  •   Títulos e valores mobiliários;
  •   Bens móveis sujeitos a registo
  •   Quaisquer bens cujo valor pecuniário seja de fácil realização ou se mostre adequado ao montante do crédito do Exequente.
Penhora de direitos – vencimento
A penhora de rendas, abonos, vencimentos, salários ou outros rendimentos periódicos é notificada ao locatário, empregador ou entidade que os deva pagar para que faça, nas quantias devidas, o desconto correspondente e proceda ao depósito em instituição de crédito à ordem do agente de execução.
Para evitar este tipo de acção coerciva, recorra a PLANOVIÁVEL de forma a renegociar os seus créditos evitando constrangimentos judiciais: penhoras e a liquidação do seu patrimonio.

707 201 267 – linha de apoio gratuito
geral@planoviavel.pt – coloque as suas dúvidas, evite o pior.

Sem comentários:

Enviar um comentário